quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Achados e Perdidos


Faz pouco tempo que perdi o guarda-chuva. É, de novo. Já virou rotina isso. Tô quase acreditando naquela história de que existe um universo paralelo onde os guarda-chuvas vão parar, porque eles SIMPLESMENTE SOMEM! 

Tá, eu sei. A verdade é que eu perco tudo. Tudo MESMO!

Não é à toa que o nome do meu blog é Achados e Perdidos. Sempre fui frequentadora desses lugares. Quando criança, na escola, ficava mexendo na tarraxa do brinco, ela caía no chão e sumia. Perdia borracha, apontador, brinquedo, esquecia livro e caderno na escola. Perdia até o lanche no recreio. Fiquei mais velha e nada mudou: na época do cursinho, a quantidade de chaveiros que perdi é incontável. Perdi dois relógios de pulso no transporte público lotado em horário de rush. Perdi bilhete único três vezes e até uma folha de lição que, após uma rajada de vento, voou da minha mão e foi parar nos trilhos do metrô. 

Já perdi dinheiro, anel, cartinha que ganhei no aniversário, gloss labial, touca de natação, tiara de cabelo. E brincos? Perdi as contas de quantos eu já perdi! Sempre sobra um na orelha. Recentemente, perdi todos os meus arquivos de computador

Já perdi a hora em inúmeras manhãs, perdi o ônibus e cheguei atrasada, me perdi no meio do caminho e tive que voltar. Ao longo dos anos, perdi o contato com várias pessoas, perdi a paciência com gente folgada, perdi a vergonha na cara, perdi o medo de errar. Perdi a educação quando necessário. Perdi a noção das coisas várias vezes. Perdi namorado, perdi a cabeça por amor e acabei perdendo o sono. Perdi o interesse quando demoraram demais. Perdi festas legais e algumas oportunidades. Perdi pessoas queridas e tempo com preocupações banais. Perdi a calma e o controle.

Também perdi a confiança e jamais recuperei. 

Sem falar das coisas que QUASE perdi. Como a redação que deixei cair na rua onde moro e não vi, carros passaram por cima e, mais tarde, meu irmão encontrou e me trouxe (cheia de marcas de pneu). Como os óculos que caíram da bolsa no cinema e só fui perceber dias depois, míope na sala de aula. Voltei ao cinema e lá estavam eles, no setor de Achados e Perdidos, com uma etiqueta e um número na caixa, parece até que iam rifar. Também, no cinema, por pouco não perco meus livros do curso de inglês, que esqueci no guichê enquanto comprava a entrada.

Ano passado deixei cair meu celular dentro dum táxi e quase perdi. Liguei pro meu número e o motorista atendeu, disse que eu havia deixado o celular cair no banco do carro. Dias depois ele me devolveu. UUFA! O mundo não perdeu as pessoas honestas! E estranho, a honestidade de uns é revelada graças à desatenção de outros. Tá vendo, nesse ponto a falta de atenção é boa! Ufa, me sinto menos culpada agora! Hahaha!

Enfim, não deixe nada na minha mão, porque já sabe né. Fica a dica.

Mas calma, eu já achei muita coisa também! Dinheiro na rua, palito de sorvete premiado, amizades verdadeiras... Até tempo pra escrever isso aqui eu achei! Mas perdi o fio da meada e não sei como terminar.

Tava aqui, juro! Deve ter caído do bolso enquanto eu escrevia.

4 perdidos por aqui:

A. Reiffer disse...

Bastante interessante teu blog, parabéns!

angela disse...

Perdeu um fio, mas achou outro.
Nem vou falar de esquecimento...rs
sou famosa na familia.
Adorei a leveza e o humor do texto.
beijos

ONG ALERTA disse...

Sempre perdemos algo...beijo Lisette.

♥ Erika Saab disse...

Que post ótimo, Karina, parabéns! Quando a minha vida tá muito corrida, eu fico assim perdendo tudo. Celular mesmo, já esqueci várias vezes. Mas o pior mesmo é perder a confiança nas pessoas, né? Acho que isso foi o que mais perdi ao longo da vida!

 
Header Image by Colorpiano Illustration