quarta-feira, 29 de julho de 2009

Sementes Cadentes

Abri a gaveta da cômoda e lá estavam elas: as três sementes. O porquê de estarem lá é uma história engraçada. Era uma noite de sexta-feira, em 2006. Saí do trabalho e fui com minha amiga (que hoje é casada e mora em Belo Horizonte) pra Paulista. Passamos no Pão de Açúcar da Consolação, compramos algo pra beber e ficamos sentadas na calçada duma rua de condomínios, onde sempre ficávamos conversando e vendo o povo passar (típico de quem não tem o que fazer!). Daí távamos lá quando, de repente, surge um senhor vindo não se sabe de onde, tira um punhado de sementes do bolso e, com um sotaque meio espanhol, diz que as sementes estão à venda. Mas, segundo ele, não eram sementes comuns: davam sorte e realizavam desejos! - HAHAHA, muito engraçado! – pensei, incrédula.

O tal “sementeiro” disse então que poderíamos dar qualquer quantia em dinheiro por três sementes, sendo um desejo pra cada uma. E que, após serem feitos os desejos, as sementes deveriam ser guardadas ou jogadas num rio. Enquanto ele falava, vi nele certa familiaridade com aqueles personagens de filme que são magos, feiticeiros e coisas do tipo, talvez pelo fato do cara usar barba grande, ter o cabelo já grisalho e tals. Sem falar no ar sinistro que ele tinha. Enfim. Eu tenho certo apreço por excentricidades, achei bem interessante essa história toda e resolvi comprar sim. Dei dois reais pelas três sementes. Minha amiga também comprou.

Cheguei em casa, fiz os pedidos, e como só conheço o Rio Tietê aqui perto (o que seria uma verdadeira crueldade com as sementes), guardei-as uma caixinha dentro da gaveta mesmo. E lá elas ficaram, esquecidas, abandonadas, sem uma única sombra de lembrança, solitárias, pegando poeira, durante anos. Muita coisa aconteceu na minha vida nesse tempo todo, muita coisa mudou, até o dia em que eu abri a gaveta e me assustei ao deparar com três sementes cinzas, com formato de cebola (sim, parecem cebolas em miniatura) lá. “Que isso??” – pensei, horrorizada. Incrível como eu não lembrava! Mas logo me veio à memória o “semeador” e eu lembrei de tudo. Na verdade, o que mais me surpreendeu não foi ter encontrado as sementes lá. E sim, ter me dado conta de que os meus três desejos foram realizados!! INCRÍVEL! Realizaram-se com o decorrer dos anos, aos poucos, lentamente, mas eu nem lembrava mais que tinha pedido essas coisas pra meras sementes compradas na rua a preço de banana!

Hoje essa história me surpreende, muito. Principalmente porque o que eu pedi não eram coisas simples de se conseguir. Não sei o que há nessas sementes com função de estrela-cadente. Juro que tem dias em que eu penso em plantá-las pra ver no que dá, hahahaha! Talvez resulte em um simples legume ou fruto transgênico. Talvez numa árvore. Vai saber. É um tipo de semente diferente, nunca vi até então. Mas uma coisa eu te digo: se você estiver na rua e do nada surgir um cara velho, com sotaque espanhol, vendendo sementes, NÃO PENSE DUAS VEZES PRA COMPRAR! Eu recomendo.

4 perdidos por aqui:

Francine disse...

vai ver era um anjo disfarçado que cruzou o seu caminho!

bjo, flor!

intomywild disse...

ah, pq nunca quiseram me vender sementes?! rs!
lembra aquela história do joão e o pé de feijão, sabe?!

Ana Lúcia Porto disse...

Um graça essa história sua...
Quanto a essas sementes, bem, eu não as comprei, as ganhei de minha mãe. Na verdade, são com elas que se fazem os rosários (terços).
Beijos,
Ana Lúcia.

Rodrigo Cavaleiro disse...

Mas afinal o que foi pedido?
"Curiosidade, reina...
Pensamento, devaneia...
Leitura, revolta...
Escreve ai o Post com as informações!"

=)
obs.: Palavra para aceitação do comentário, parece comigo ao pensar estudar [Ingrais]

 
Header Image by Colorpiano Illustration