domingo, 14 de março de 2010

Platônico

Peguei o dicionário pra procurar uma palavra e, sem querer, abri na página em que estava outra, logo no topo: PLATÔNICO. E justamente quando estava vivendo um amor desse tipo. Isso aconteceu de verdade e eu levei um susto. Parecia um sinal. Até o dicionário queria me mostrar que aquilo que eu sentia (há muito tempo) não podia ser real. No fundo eu já sabia. Só não queria acreditar.

Dizia Platão que, no mundo das idéias, estão todos os conceitos perfeitos. E, a partir do momento em que se concretizam no mundo real, perdem a perfeição. Daí vem a definição de "amor platônico", idealizado, que não pode acontecer. Mas vai explicar isso pro meu coração! Ele não quer saber quem é Platão, muito menos se a distância, o tempo e as circunstâncias impedem duas pessoas de ficarem juntas. Ele simplesmente quer. E quer agora. Sem saber que está jogando sozinho uma partida de squash, ao lançar a bola (no caso, o sentimento), e apenas vê-la bater na parede e voltar (às vezes bem na sua cara, provocando dor).

Semanas, meses e anos jogando sozinha, enxergando o imenso muro de Berlim que me separa dele, me sentindo como o mar, que reflete o céu sem poder tocá-lo.

Fechei o dicionário sem olhar o significado de platônico. Eu não havia escolhido abrir naquela página, da mesma forma que não escolhi gostar daqueles olhos frios que ainda invadem os meus sonhos. Que eu posso fazer se ele entrou pela porta sem avisar e perdeu a chave pra sair?


13 perdidos por aqui:

Ivana Marisa Altafin disse...

Geralmente esse tipo de amor acontece com os adolescentes e jovens adultos; a timidez dificulta a aproximação da pessoa "amada", se tornando cada vez maior o sofrimento. Não sei se é seu caso, comigo foi assim. Espero que você encontre logo essa chave e não sofra mais, você é jovem e ainda vai viver um verdadeiro e grande amor. Um lindo domingo!

Clara disse...

ah! Karina;
não sei o que passas nem o que vive, mas só sei que todo mundo um dia já viveu algo platonico, já que vc não quis ver o significado de platonico, tbm nao vou dizer, mas tenho a ligeira impressão que vc já sabe, outra coisa amiga passa viu, espero que no seu caso passe logo. Porque todo sofrer é doido, mas sofrer por um sentimento platonico acho que doi mais...
beijo grande !!

Rodrigo Cavaleiro disse...

Obs.1: Deixe-me ter um minuto de alucinação, "agradeço seu amor, e acredite ele é correspondido, realmente não quer saber de Platão. Mas o RJ não é tão distante assim, para controlar o tempo basta interesse e desejo, pela circunstâncias eu me disponho", "amo-te também" =).

Olá pessoinha, agradeço o novo post.
Em parte direi que odeio assuntos do coração, tento insistentemente trocá-lo por algo mais útil! [Uma tentativa de ignorar sentimentos e ser suposto Racional]

Assuntos deste músculo hidráulico vermelho são sempre estranhos e de difícil entendimento, variam de formas e alvos que não se pode premeditar, nem preparar-se...

Quanto ao platônico, desculpe-me... meu dicionário mostrou assim:
"Amor platônico. 1. Ligação amorosa sem aproximação sexual". "não houve um 2."
Eu posso considerar nunca ter sentido e que talvez você tenha situação similar.
Usarei o seguinte termo, AMOR IDIOTA,[sem ofensa], pelo critério de amizade e coleguismo, que são patamares diferentes de "amor", "relacionamento". Ligação amorosa pode ou não ser correspondida, pode ou não ser ideal. Ideal para ele então era relacionado com sexo, o decorrer desse processo leva a aproximação sexual... não entendo Platão! Quer dizer que sem sexo não há amor?

Diria que já lancei inumeras vezes meu sentimentos na parede e em igual contagem experimentei arremassar para outros lados...

Então essa ligação unilateral que tem por ele, é a mesma que eu tenho por ELA. É a mesma que sei que nunca acontecerá por fraqueza minha, e não por que o ideal não pode ocorrer.

Obs.2: "Que posso eu fazer se ele entrou pela porta sem avisar e perdeu a chave para sair?" ; Experimente chamar a polícia, [ela encontra-se no interior de montanha do seu corpo, atende pelo nome de cérebro, razão]. Do contrário, nesta muito bela história de invasão, ninguém comentou em ter trancado a porta, portanto não precisa de chave para sair...

Beijo na mão!

angela disse...

Karina
Sua escrita é de cronista e sua alma romantica e sonhadora e agora cá entre nós amores platonicos, as vezes animam almas insatisfeitas, as vezes é só um jeito de não viver o amor de verdade, pleno e cheio de dificuldades.
O texto está muito legal.
beijos

garotabossanova disse...

eu já vivi muitos amores assim e acredito que antes viver um amor platônico do que não viver amor algum, porque como diria o velho Rosa, amar é um descanso na loucura. Teu texto como sempre lírico e fazendo pensar. Adoro! :*

Francine disse...

Ai ,ai...quem nunca viveu um amor assim?! :)

saudades de vc, mulher!

Ana Lúcia Porto disse...

Karina,

Ficaria muito feliz se você fosse comer uma fatia de bolo, comigo, em meu blog...

Estou lhe aguardando.

Beijos,
Ana Lúcia.

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Karina,

Semanas de provas é...?! Sumiu, quando voltará?!

Beijos e bom final de semana,

Ana Lúcia Porto disse...

Olá...!!

Adorei a sua visita...!! Que bom que deu uma passadinha para me alegrar...

Beijos e boa semana, vê se se cuida...e não suma por muito tempo, heim...!!

Ana Lúcia Porto disse...

Ah sim...!!, você não leva jeito para amor platônico...,rs..., simplesmente não lhe apareceu quem compense investir.

No mais, se tiver que ser seu mesmo, ele será, sem erros... Não tem como não saber...

Beijos,

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Karina,

Que o pão e o vinho sejam os alimentos de nossas almas, nesta Semana Santa, em memória de Cristo que morreu para nos salvar...

Façamos, pois, jus a esse Sacrifício...

FELIZ PÁSCOA...!!

Beijos,

Mari disse...

Oi, Ká!
Acho que muitas vezes, todos nós somos assim, talvez até sem perceber. Tentamos nos mostrar fortes, e acabamos por nos "fechar", de certa forma, para o outro. A vantagem? Quem consegue enxergar uma porta com luz (como a encontrada no casarão do seu texto) descobre um ambiente quente e acolhedor, cheio de carinho.
Espero que você consiga abrir essa porta cada vez a mais pessoas, para que todos possam ver a garota especial que você é!
Texto muito bem escrito, eu amei! Beijos e saudades!

Ivana Marisa Altafin disse...

Oi Karina,
Tem um SELO para você, passe lá para ver. Bjs

 
Header Image by Colorpiano Illustration